Início Politica Lajes das Flores exige soluções para transporte de mercadorias

Lajes das Flores exige soluções para transporte de mercadorias

A Assembleia Municipal das Lajes das Flores, nos Açores, aprovou na noite de quinta-feira; por unanimidade, duas moções que exigem soluções para o problema do abastecimento de mercadorias para a ilha.

Uma das propostas, apresentada pelo PSD, exige que o Governo Regional encontre um navio adequado ao abastecimento da ilha; mas também que crie um gabinete para a coordenação logística de toda a mercadoria com destino às Flores, que tem sido servida; desde o furacão “Lorenzo”, em outubro, por uma embarcação mais pequena, com capacidade de carga considerada insatisfatória para o comércio local.

“Defendemos que seja criado um gabinete de coordenação logística, na dependência do senhor presidente do governo; com efetivo poder de decisão”, insistiu Bruno Belo, deputado do PSD; justificando que não é possível continuar “com a desorganização que; neste momento, impera naquilo que é o abastecimento às Flores e também naquilo que são as exportações dos animais vivos”.

O parlamentar social-democrata deu como exemplo o facto de o navio “Paulo da Gama”, da empresa de Transportes Marítimos Graciosenses – o único navio que tem conseguido operar no porto das Lajes das Flores desde os estragos provocados pelo furacão –, ter saído da ilha, ao final da tarde de quinta-feira, levando apenas uma pequena quantidade de gado para exportação, por não existirem mais contentores adequados para esse transporte.

Aliás, A outra proposta aprovada por unanimidade foi apresentada pela bancada municipal da PS; que gere as duas câmaras municipais da ilha (Lajes e Santa Cruz); defendendo a criação de uma linha de crédito para apoiar os empresários da ilha, que estão a passar dificuldades por falta de mercadorias.

Assim, O deputado municipal socialista José Eduardo explicou que esta é a altura de os partidos colocarem as suas divergências políticas de lado e procurarem uma solução comum para os problemas da ilha, criticando mesmo a falta de planeamento no transporte de mercadorias que atualmente se verifica para as Flores.